domingo, 4 de dezembro de 2016

A Inevitável História de Letícia Diniz


Lembrei do precioso "A Inevitável História de Letícia Diniz", de Marcelo Pedreira.
Bela e triste história que sintetiza as vidas de milhares de travestis e mulheres trans Brasil afora.
Leia o livro ( http://www.saraiva.com.br/a-inevitavel-historia-de-leticia-diniz-1567968.html ). Veja o curta ( https://youtu.be/KIX-LS8K-Nc ). Quando possível assista a peça ( https://youtu.be/s4W3KFCXAJk ), essas fotos são dela. Vivo no aguardo do longa.



sábado, 3 de dezembro de 2016

Eu também me canso

Por mais que venha conquistando os meus sonhos, como trabalhar com o que me dá prazer e ter um marido que eu amo e que me faz sentir amada, de vez em quando eu também sinto tristeza e desolação.

Mas não posso esmorecer. Muita gente depende de mim.

Não financeiramente, mas intelectualmente e afetivamente - nesse estilo meio distante da internet, de textos e imagens (fixas ou em movimento) de carinho e reflexão, que porém conta bem mais do que se costuma imaginar.

Esse instrumento, a internet, tem-nos auxiliado - a nós que sonhamos com dias mais fraternos e equânimes - a salvar vidas!

Eu sou desse maravilhoso povo, humilhado e ofendido, e escolhi cuidar dessas pessoas que são violentadas diariamente.

Pessoas que de todas as formas são menosprezadas, insultadas, ridicularizadas, excluídas e feridas - quando não são assassinadas - e não têm onde nem com quem repousar do ódio e da estupidez que tenta nos exterminar ou nos tornar mortos em vida.

Sei que a minha persistência (ou melhor, teimosia) é necessária. Não posso desistir, em nome dos que não são considerados gente; dos que não têm seu gênero e nome reconhecidos; dos que, devido a sua aparência, ancestralidade e/ou identidade, não são tratados como cidadãos, como amigos, e em alguns casos, sequer como familiares.

O meu saber-fazer é ínfimo, nulo de poder. Microscópico. Implícito. Demorado. Porém ele tem alguma influência, além de que eu fiz dele o meu possível e a minha missão.

Eu não mudo condições de vida, e por mais que o meu trabalho intelectual vise informar e estimular empatia entre as pessoas, eu não mudo preconceitos do dia para a noite. Porém, Pelo quem sou e minhas ideias paridas da pesquisa e da reflexão, com suas palavras e imagens, que são o meu instrumento, faço parte de uma coletividade que nutre mentes e, eventualmente, corações.

O que eu planto pode não vingar, mas quando se desenvolve, alimenta sobreviventes e os fortalece.

No fim das contas, eu sou uma agricultora de futuros.

ESCREVENDO A DIVERSIDADE

Será em 9 de dezembro, sexta-feira, a partir das 19h, na Rua Senador Pompeu, 82 - Rio de Janeiro/RJ.


21ª Parada do Orgulho LGBT - Rio 2016 - 11 de dezembro

O tema desta edição da Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro é:

EU SOU MINHA IDENTIDADE DE GÊNERO 
Pela Aprovação da Lei João Nery - PL 5002/13 - Lei de Identidade de Gênero


Plágio de comentário no Facebook

Acreditem, uma pessoa copiou, ipsis litteris, um COMENTÁRIO, que fiz no meu mural no Facebook, sobre o fato de um Sex Shop ser meu seguidor no Instagram.
Gente, não copie comentários.
Além de ser um tanto absurdo, isso é triste, porque despersonaliza.
Nem é por questões de autoria, é falta de autenticidade para ser você mesmo.
Todos têm uma vida rica o suficiente para não precisar copiar os relatos da vida dos outros. Exercite sua escrita própria.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Comentarista de Mestrado em Estudos Socioculturais no México


Nesta sexta-feira, 2 de dezembro, serei comentarista (leitora externa) de dissertação de Mestrado em Estudos Socioculturais da Universidad Autónoma de Baja California, no México.

Até onde sei a transmissão não poderá ser aberta ao público. :( Uma pena. Vou consultá-los se haverá gravação.

Será das 15 as 17h, no horário de Brasília (das 9h às 11h, no horário do México).